terça-feira

TUMULTO (tentativa a)

é a cara de um cara sujo
é o coro de um quero e digo

exportaremos chorume
os cheiros ardem os fatos
é um gás carbônico movie
dias densos de teste do sensato

sentidos do urbano mítico
são velhas caras e novos símbolos

no exagero do fascínio da buzina
correm saltos a gritos ritmados
que entortam e emparelham filas
nos hecatombes de encontros marcados

marmita alumínio e plástico
ou flácido dia de domingo

há calos de certezas calcadas em tamancos
na multidão com código de barras
se abrem espaços claros de medos brancos
e os dias entortam quinas em meio às brasas

comboio de tradição barraca
manada imensidão de estouro

tumulto

é o coro de um quero e digo
é a cara de um cara sujo



heyk, para alê souto em 19 e 20 de janeiro de 2009

8 comentários:

Miguel Barroso disse...

Heyk, uma vez mais um belíssimo e bem escrito texto.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Karina Meireles disse...

Muito bom..
Uma sacudida no cranio.. tumulto de cara lavada!

ceci disse...

rapaz! tremeu meu coração! bela poesia!

Gleydson disse...

O tumulto é teu irmão mais velho e o espelho do que não querias ser... Mas esqueceste que foste criado pelo mesmo pai e tem seus olhos tal como sua avareza... O tumulto é o proletário que luta para sobreviver ou que vive para se alienar ?

Don Caco disse...

"chutou a cara do cara caído"...

Heyk Pimenta disse...

Eita,

até análise gratuita eu ganhei aqui, é ótimo ser poeta da internet é lindo meus gatinhos e gatinhas.

Obrigado pela leitura.

Tumulto é uma obra a pedido do Alê Souto, eu adorei fazer, poema encomendado é a síntese do desafio.

Fico feliz pelo Andrei Mikail, que não comentou aqui, mas me mandou um email emocionado falando do poema. Epa, nem tudo são esgotos na cidade.

Abraço amigos amigos.

Minina disse...

sabe as sensações e as imagens q vieram lendo o poema? uma gastura, um desconforto nos dentes, como se eu tivesse mastigando alumínio... ui! mta fumaça cinza preta e barulho, ou melhor, um zumbido constante feito esse zumbido q a gente ouve qdo se tranca num apartamento d cidade grande pra dormir a madrugada... zuuuuuuuummmmmmmm, daí o sol chega, explode tudo: plim plim.

eiquerido, primeiro as sensações, que cheguei agora!

Alê Souto disse...

ahhhhahahahahah,chorume, chora e se descabela, Heyk é incomparavelmente o Rei do Tumulto de Sandálias o tempo inteiro, só pra fingir que tá tranquilão quando por dentro o pau tá quebrando, é assim que tem que ser, brigado irmão, vamo em frente
alê

crédito do desenho no cabeçalho: dos meses duro, nanquim sobre papel, 2010 Philippe Bacana