quinta-feira

Boca inteira

Latas de coca cola de sapateiro e de sprithinner com a foto do garrincha. O mais velho novo craque chuta bolas de pedra branco-amarelas ecoando no vazio derretido do rosto das crianças. Jogo de futebol sem regra com patrocínio na cinelândia. Homens deslizam na tela Dedão preso no ferro com a boca inteira enfiada na garrafa de plástico. Dança de dormir mais cedo Movimento peristáltico Ritual de passagem. Deforma entorta e fura Funde na boca do preto Molha a mão do santo. A paixão escorre pelo dilúvio do metrô Desespero choro e baba no alambrado. Empurrão cara feia correria sorrisinho coitadinho moedinha moedinha moedinha. Correria Cara feia Boca inteira enfiada na garrafa de plástico E Gol.

5 comentários:

Anônimo disse...

é pelada na cinelândia e a garrafa de cola é a bola. Toca pra cá....
duduperere
www.verbologue.zip.net

Zé(d's) disse...

texto bonito. bem escrito.

Minina disse...

é...

cada um extrai a vida d onde pode, ateh onde está sendo possível enxergar: uns do gol, outros da garrafa d cola, e outros doutras tantas materialidades, doutros tantos "rituais d passagem"...


mas uma coisa engraçada: li o texto em tom daqelas narrativas d jogo d futebol aqi, em voz alta... hahaha ficaram as palavras ocupando seus luagres devidos no espaço e eu vi a cena todinha... teatro. o som de "moedinha moedinha moedinha" ficou ótimo precedendo o êxtase do gol...

vou usar essa tática d lêr em voz alta mais vezes, proutras leituras, mas ñ narrando um partida, né? hehehe mas pra esse agora serviu direitinho...


taí, gostei do texto... hahaha


;p


bjo, té, daqi,

comendo tudo e pondo pra fora do meu jeito.

compulsão diária disse...

Uau! cinelândia blues.

Heyk Pimenta disse...

muita gente gostou desse. Engraçado. Deve ter outra cara ele. Não vejo tanto qual.

crédito do desenho no cabeçalho: dos meses duro, nanquim sobre papel, 2010 Philippe Bacana