sexta-feira

Poema simples XII

cinco de oito

Passo na Voluntários
como eles
Voluntário

há quanto tempo não me ligo
três nove setenta
quatro três sete cinco

mais que marginal,
imaginário
ser a terceira margem do Rio.

9 comentários:

Leonardo Curcino disse...

muito bom, cara! muito bom mesmo. a forma como termina, citando uma terceira margem.

parabéns!

Fabi disse...

eu dinovo

Luna disse...

complicado é ser simples. ser simples é complicado.

sidnei olívio disse...

Grande, Heyk! Simples na construção, mas de grande profundidade. Abraço.

pazktrobdapdrohenedraridradoquem disse...

HAUGAUAUGGA!
Incrível! É isso mesmo!
Bom conhecer aqui!
Fazer acontecer !
Vamos!

Victor Meira disse...

Negão, que que é a Voluntários?

Como o Léo, o verso que eu achei bem feito é o últimão, da última estrofe. E não dou nove centavos pela estrofe do meio, viu?

Haha, abrazzo, negumba!

Heyk Pimenta disse...

valeu, pessoar!

voluntários é uma rua que corta botafogo aqui no rio.
obrigatória pra quem vem do jardim botânico, gávea, lagoa e quiser chegar ao centro ou coisa do tipo.

Priscila Milanez disse...

Qdo estive aí no Rio pela última vez, fiquei pertinho dessa rua. Sempre que eu pegava um taxi pra voltar pra lá, dizia ao taxista "vou até a revolucionários da pátria"...

Lucía Inés disse...

sempre lembrando que seja primeira, segunda ou terceira, a margem pode estar num canto, no fim, mas sempre dentro. no máximo, é a fronteira, o limite.
sejamos a terceira margem; nunca esquecendo que há o rio e que dele somos...

crédito do desenho no cabeçalho: dos meses duro, nanquim sobre papel, 2010 Philippe Bacana