segunda-feira

Noiva morta (tentativa a)

.
sobre passos
em volta
sopros e aço
.
descortinam troços nos uivos
entulhos descarrilham medos

.
véus de boca turva assinalam punhos
pousa na centelha a noiva e os urros
.
secura
amolece o rijo
se desmancha no escuro


(Senhores, apresento-lhes um trabalho encomendado. São poemas a serem usados numa obra inter-artes. Uma instalação-performance-intervenção. Preciso ainda formular uma pergunta. Conforme a coisa for tomando corpo vou explicando.)

8 comentários:

Guto Leite disse...

É poema muito bom, parceiro! Ainda melhor àquilo que se propõe. Vários achados, um ótimo tom. Enfim, estro. Abração

Victor Meira disse...

Farelo!

Legal, nego. Gosto de "descortinam troços nos uivos". De forma geral, senti uma distância emocional em relação à figura. Como se a voz do poeta fosse de transeunte, de contemplante da natureza morta, de um mineral frívolo, uma pedra no cemitério. Tem precisão descritiva, e se essa é a pegada, legal.

Fala mais disso.

Ca:mila disse...

personagens de buñuel num cenário de tim burton. o véu marca e esconde.

falando de sartre: ainda não pulei o muro porque encontrei náuseas pelo caminho.
agradeço tudo isso, me deixa feliz.

quanto ao método é o seguinte: escrevo e depois caço uma foto que traduza de alguma forma a sensação causada pelas frases. eu não sei se quem me lê interpreta imagem-texto como eu interpreto e esse é o grande lance.

hasta!!

Pó & Teias disse...

lendo esse seu, lembrei deste meu...

um diálogo?

http://poeteias.blogspot.com/2007/10/estrelas-nuvens-levante-seu-corpo.html

RP

Rachel Souza disse...

Um quê de coisa sombria bem bonita de visualizar.

Heyk Pimenta disse...

Caros, perdoem-me o sumiço, estava fora de área. A chuva me lavou a internet.

Nos fins:

Vou fazer mais testes dessa proposta.

Bjos a todos. Com carinho de barba feita.

coletivo disse...

muito bom!
do que se trata a noiva morta??
curisoa
bjo

compulsão diária disse...

Gosto dessa a)
sobre passos sopros e aço
véus da boca urros e secura!
boa, centauro

crédito do desenho no cabeçalho: dos meses duro, nanquim sobre papel, 2010 Philippe Bacana