terça-feira

Noiva morta (tentativas éfe e gê)

éfe

nova
noiva
morta

mora
na
viela

trava
mão
rabo

vai
virar
viúva

nossa
mãe
docéu

mas o
mijo
corta

noiva
morta


**



noiva navalha
véu na madeira
telha quebrada na viela
caco craquela na sola
arrebarbo de ferro
agarros no pano
rasgo de pulo
de gelo gemido
de susto
noiva penada
navalha em punho

(gente, não se esquestem, a oi me sabota, mas eu também boto. vão olhando. noiva morta. Ah, e em breve, lançamento de [sóis] livreto novo do sô heyk)

5 comentários:

Welington de Sousa disse...

BELO JOGO DE PALAVRAS , BEM INTERRESSANTE.

Guto Leite disse...

Cara, quanta coisa tem por aqui! Fico com a "d" por hora, mas a "g" também me instiga. Enfim, os bons versos de sempre!

Heyk Pimenta disse...

interessantes os comentários dos dois.

a tentativa d pra mim é a mais tosca de todas, legal vc ter gostado, guto.

da g eu tbm gosto.

já tem mais um quase pronto

Victor Meira disse...

Tive vontade de fazer música com isso. Que legal. Li cantarolando na cabeça.

Já o GÊ tem um ritmo gostoso, e experimentei cantarolá-lo também. Coisa boa, vô virar cantarolêro. Ali em "de susto" acontece uma coisa bem legal.

Boa, negó.
Bonita sua noiva morta.

Heyk Pimenta disse...

legal, tô indo sem medo.
aí é legal. os resultados são piores em porcentagem, mas tem mais coisa, acaba que é capaz de aproveitar mais em brincadeira.

tem novo lá.

crédito do desenho no cabeçalho: dos meses duro, nanquim sobre papel, 2010 Philippe Bacana