quinta-feira

Poema simples XIV (de um em um mês como o salário)

vinte e dois de dez

a passagem aberta
doce
de portais de amêndoa

em raios da hora nova
é nos novos arranhões

o sono solda
tempos breves
e outubro passa
como música
no ônibus

esse é o terceiro curtinho da série de ruas, os outros dois estão em:
poema simples XIII e poema simples XII

3 comentários:

Priscila Milanez disse...

Tão você!

Anônimo disse...

Oi, Roquerhunter. Tá precisando atualizar o seu espaço lá no blog Caçador de Hipócritas. Beijão.

Heyk Pimenta disse...

Eita!

crédito do desenho no cabeçalho: dos meses duro, nanquim sobre papel, 2010 Philippe Bacana